Uso de tecnologia como Machine Learning contribui para diminuição de alta taxa de turnover e aumento na contratação de profissionais com mais aderência ao perfil da empresa

A pandemia do coronavírus mexeu com todos os setores da economia brasileira, promovendo uma verdadeira mudança no comportamento do consumidor, nas relações de trabalho e no faturamento das empresas. Enquanto alguns setores foram impactados negativamente em decorrência, principalmente, do fechamento do comércio – medida adotada para conter o avanço da doença, outros setores tiveram impactos positivos em seus números.

É o caso, por exemplo, de serviços essenciais como o setor supermercadista que, em julho de 2020, apresentou crescimento de 2,78% na comparação com julho de 2019. No acumulado do ano (janeiro a julho), o crescimento das vendas foi de 4,47% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Os dados são da ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) e leva em consideração valores reais, deflacionados pelo IPCA/IBGE.

De um modo geral, as vendas aumentaram no comércio varejista. Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, do IBGE (Instituto Brasileiro de Economia e Estatística), este setor apresentou crescimento de 8% nas vendas no mês de junho em relação ao mês de maio. No trimestre (abril, maio e junho), o crescimento foi de 0,9% e no acumulado dos últimos 12 meses foi de 0,1%.

O aumento nas vendas na pandemia fez com que se criasse uma espécie de ciclo virtuoso da economia para o setor. Isso porque as vendas online aumentaram, fazendo com que outros setores da economia, como os de serviço de delivery, passassem a ser mais demandados.

Uma pesquisa feita pela Infovarejo com 342 empresas sobre os efeitos da Covid-19 nos supermercados, revela que antes da pandemia, 58% das lojas não realizavam vendas por canais digitais ou remotos. Após o início da pandemia, 60% dos supermercados que não vendiam online ou de forma remota, passaram a vender via tele entrega ou delivery. O e-commerce foi adotado por 7% dessas lojas, 2% estão estudando e 2% estão em processo de escolha do parceiro.

Uma pesquisa realizada pela Mobilis revelou um crescimento de aproximadamente 94% no setor de delivery no Brasil, entre os meses de abril e junho. Para a Rappi, a demanda de supermercados e farmácias aumentou em 300%, fazendo com que o número de colaboradores da empresa aumentasse em até quatro vezes no período. 

DESAFIO

Junto com os números positivos, existe um desafio para o setor varejista: como diminuir o alto índice de turnover de funcionários.  O setor de varejo é reconhecido por absorver candidatos com pouca experiência, que estão acessando o mercado pela primeira vez, o que acaba tornando o setor mais suscetível à alta rotatividade.

O varejo também é responsável por grande parte das contratações temporárias que acontecem no país: segundo a Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), a estimativa é de que, no primeiro semestre de 2020, 1 milhão de trabalhadores temporários tenham sido contratados – um crescimento de 47% em relação ao primeiro semestre de 2019. Logística e alimentação estão entre os setores que mais demandaram profissionais. A previsão para o segundo semestre, de acordo com a Associação, é que 900 mil novas vagas sejam criadas, principalmente, com a chegada do Natal e Ano Novo.

Trata-se de um setor com altos índices de mão de obra disponível e que, porém, nem sempre contratam o colaborador com o perfil mais estratégico para os negócios da empresa, ainda que contratem o mais qualificado dentro do universo daquela seleção. É um mercado exigente para o trabalhador, que requer do candidato a disponibilidade para trabalhar em regime de escala aos sábados, domingos e feriados, e folgar durante a semana. 

A alta rotatividade representa prejuízo para a empresa, a necessidade de um novo processo de seleção e treinamento, além de gerar um clima de desconfiança na corporação.

SOLUÇÃO LEVEE

Uma forma de mitigar o problema otimizando o processo seletivo dos candidatos, desde o currículo até a contratação, é utilizar a tecnologia como aliada. Falamos há pouco tempo sobre a importância de recrutar e contratar colaboradores com o perfil correto para gerar um resultado satisfatório.

Com o uso de Machine Learning, o recrutador pode mapear os candidatos mais qualificados para a vaga, com maior probabilidade de retenção no cargo e, ainda, aqueles que moram nas proximidades do local de trabalho – fator que influencia diretamente a produtividade do profissional.

Para Jacob Rosenbloom, CEO da LEVEE, reduzir o tempo de contratação é apenas um dos benefícios da implementação da solução. “Além de melhorar significativamente a qualidade de vida e a disposição para o trabalho, que fará o colaborador ser mais produtivo e melhorar as métricas da empresa contratante, o uso da geolocalização no processo seletivo diminuirá resultará em menos dinheiro gasto com vale transporte”. 

 

 

 

 

 

 

Com isso, os colaboradores do departamento de RH da empresa podem dedicar-se a tarefas mais estratégicas, não precisando mais despender horas de sua rotina fazendo ligações telefônicas e enviando e-mails, nem mesmo têm que lidar com os altos índices de não comparecimento a entrevistas. A solução da LEVEE elimina estes processos, entregando candidatos com o perfil mais adequado à vaga.

Em um processo recente de seleção de uma empresa supermercadista, dos 27 candidatos entregues pela LEVEE, 23 foram aprovados, índice jamais antes atingido pela empresa. Os outros quatro candidatos restantes, que também se adequam perfeitamente ao que a vaga pedia, foram cadastrados em um banco de candidatos, para serem chamados no próximo processo. 

CONTRATAÇÃO ÁGIL

Com a temporada de final de ano, que inclui comemorações como Dia das Crianças, Natal e Ano Novo, a contratação feita por lojas cresce consideravelmente.  A atividade demanda tempo: de acordo com um estudo feito pela LEVEE, o processo de contratação de profissionais pode levar até 22,5 horas/mês – são quase 3 dias úteis para essa tarefa seja concluída. A etapa mais demorada diz respeito ao processo de busca e captação de possíveis candidatos, que leva até 13,8 horas/mês.

Com a implementação da plataforma de INTELIGÊNCIA OPERACIONAL o tempo é otimizado: são 23 horas economizadas por gerente/mês, 33 dias gerente/ano, gerando uma economia de até R$ 10 mil reais por ano/gerente.

A tecnologia LEVEE também auxilia na seleção de temporários, tornando a busca e captação de candidatos até 70% mais rápidos, já que permitem a padronização do perfil, aumentando a chance de efetivação posterior.

Em relação à contratação de trabalhadores intermitentes, a solução permite a gestão e convocação por bots, consistência no perfil e avaliação de candidatos em uma base de dados com 20 milhões de inscritos. Quando necessário, a reposição do colaborador acontece em até 72 horas.

A tecnologia torna a relação do RH com os gerentes de loja mais robusta e produtiva. Com a LEVEE você Contrata a pessoa certa, para o cargo certo e mais rápido.

Leave a Reply