“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”. Charles Darwin

Para assistir,  Clique Aqui

 

A crise instaurada pela COVID-19 tem exigido de muitas companhias uma reinvenção estratégica de seus negócios. Tecnologias como Inteligência Artificial, Machine Learning y Big Data aparecem como excelentes alternativas para as empresas e para setores específicos como o RH conseguirem sobreviver à pandemia.

Na tarde de terça-feira, 28 de abril de 2020, para discutir alternativas neste momento de incertezas a LEVEE promoveu o webinar “Tecnologia como meio para otimizar custos durante a crise”.

Participaram como palestrantes o Head de Produtos da LEVEE Marcelo CarotaMestre em inovação pela USP, com mais de 20 anos de experiência em projetos inovadores e tecnológicos e gestão de pessoas orientadas a resultados. Já trabalhou em empresas como Banco Ibi, Santander, GetNet, Saraiva e Uol. 

Também, Fernanda Medei, CEO y Founder da Medei, HRTEch que cuida do pós desligamento do ex-funcionário. Formada em Direito, Pós Graduada pela PUC-COEGEAE, migrou sua carreira após ser demitida e levar 120 dias para ter seu processo de homologação concluído.  

E, Gabriel Schimchak, Diretor/Sócio da empresa ZOHAR de Inovação e Marketing e Diretor da Aceleradora de Startups PowerLabs. Profissional com 20 anos experiência internacional em Marketing, Inovação, Network y Internacional New Business. Trabalhou para diversas indústrias de bens de consumo, serviços, agências de propaganda, consultorias e câmaras de comércio. Schimchak realiza missões econômicas pela ZOHAR desde 2017 em países como Israel, China e no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Os profissionais convidados abordaram temas como automatização de processos, transformação digital para o RH, tendências e necessidades do novo mercado e novidades para o RH.

Empreendedorismo pela necessidade

 

Gabriel Schimchak destaca em sua fala a velha máxima do empreendedorismo pela necessidade vs o empreendedorismo pela comunidade.

“Embora a situação do novo coronavírus tenha nos empurrado para o mundo digital, nem todas as empresas tinham coragem de investir. Fomos jogados para uma nova realidade. Algumas empresas estavam mais preparadas do que outras”, destaca.

Marcelo Carota, dá o exemplo da LEVEE:

“Tínhamos uma certa resistência em implantar a ferramenta de videoconferência. Com a pandemia adotamos esse processo de seleção virtual e notamos uma grande adesão de candidatos, que elogiaram o fato de não ter que se deslocar para um determinado local, facilitando a logística para a atividade”, revela o Head de Produtos.

Schimchak destaca que as empresas maiores olham o digital como parte da companhia e as startups já nascem com o conceito central na sua estratégia.

“É fundamental termos a alta tecnologia à disposição”, reforça.

Fernanda Medei, CEO y Founder da Medei destaca que sua empresa não nasceu digital. Segundo ela, o processo ocorreu com o tempo.

“A Medei nasceu como uma empresa tradicional que se assemelhava a uma empresa de Contabilidade e fomos nos modificando até nos tornarmos uma HRTech efetiva”, esclarece.

Para Marcelo Carota, antigamente não existia muito espaço para a inovação em Recursos Humanos.

“Hoje profissionais dessa área já não estão mais apenas focados nos departamentos, pois é necessário pensar diferente e entender a tecnologia. É um caminho sem volta”, analisa.

“A transformação digital muda muito a relação com o negócio e também a relação com o formato de trabalho”, complementa. Fernanda Medei.

Durante o processo da pandemia da Covid-19 é possível analisar que muitas empresas modificaram as relações de trabalho. Muitas delas, adotaram o home office de forma forçada e outras estão pensando efetivamente se querem voltar ao modelo tradicional.

“Algumas empresas estão pensando em rever seus espaços e não ter uma quantidade tão grande de mobiliário e ambiente”, salienta Fernanda.

Os palestrantes destacam que está ocorrendo uma quebra de paradigma que mostra o quanto o ser humano pode ser flexível, utilizando as tecnologias que estão à disposição.

“Irão ganhar aqueles que utilizarem ferramentas mais práticas e ágeis e tiverem maior senso para se adaptar”, explica Gabriel Schimchak.  

 

 O que era tendência virou urgência

Os Departamentos de Recursos Humanos são bastantes carente de soluções digitais, como inteligência artificial, workflow e automatização de processos. A pandemia e o consequente isolamento social aceleraram processos e abriram oportunidades.

“No Brasil e na América Latina observamos um mercado muito bom para evoluir em plataformas digitais e análise de dados para a área de RH e culturas da empresas”, destaca Gabriel.

Alguns números curiosos do período:

  • 30% de aumento de pedidos no Delivery;
  • Média de 35% de aumento em vídeo chamadas;
  • 40% no aumento de compras online (e-commerce)

A transformação digital não acontece somente com a implantação de tecnologias, mas também com as pessoas. “Elas passam a ter maior responsabilidade, senso de urgência e são as grandes responsáveis para fazer o processo acontecer dentro de uma companhia”, observa Marcelo.

No caso do RH, a empresa que adota uma forma digital está dando celeridade aos processos e protegendo os direitos trabalhistas no colaborador.

Alguns exemplos de como a tecnologia pode ser parceira do RH:

  • Plataformas que triam e escolhem automaticamente o candidato mais aderente para a vaga;
  • Aplicação de testes, agendamentos e entrevistas realizados de forma digital;
  • Uso de análise de dados para identificar perfis mais produtivos na equipe;
  • Centralização, automação e controle de todas as etapas do processo de desligamento.

A tecnologia deve servir para otimizar o tempo do profissional de RH. Por exemplo, o processo de captação e triagem demanda muito dos profissionais. A plataforma da LEVEE elimina a atividade desses profissionais fazendo a captação e triagem de colaboradores, a automação de testes o agendamento de entrevistas (entrevistas via vídeo chamada), a contratação e a análise de performance de equipe.

 

Novidades da LEVEE

A LEVEE possui mais de 2 milhões de candidatos nos perfis de maior demanda atualmente: Atendentes e Operadores de Caixa, Operador de Call Center, Auxiliar de Enfermagem, Motoboys (não CLT).

Garantimos a entrega de candidatos já triados e entrevistados no menor SLA do mercado, incluindo os temporários. Assim, setores que não poderão deixar de atender ao público, podem trabalhar em modelo de escala. Tudo isso, com flexibilidade de custos e pagamento. A solução da LEVEE seleciona os perfis mais qualificados para somar forças ao negócio, aumentando os índices de produtividade.

Para assistir o webinar completo Clique Aqui

Leave a Reply