Um estudo realizado pela Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe) aponta que as perdas do varejo brasileiro em 2017 somaram R$ 20 bilhões, o que representa 1,29% do faturamento líquido do setor. A boa notícia é que esse índice vem caindo ano a ano – 1,4% em 2015 e 1,32% em 2016 –, consequência dos investimentos em tecnologia e treinamento dos funcionários.

Entre os segmentos do varejo, o de supermercados lidera o ranking de perdas, com um índice de 1,94% em relação à receita líquida. Era de se esperar que o ramo se destacasse nesse quesito, uma vez que comercializa um volume grande de produtos perecíveis. Em segundo lugar estão as livrarias/papelarias, com uma taxa de perdas de 1,46%. Os demais segmentos ficam abaixo da média nacional.

A pesquisa também mostra que 35% das perdas no varejo ocorrem em função do que se chama “quebra operacional”: vencimento, dano ou deterioração do produto, armazenamento inadequado e danos causados por funcionários. As ocorrências são mais frequentes nos segmentos de supermercados/atacarejos, drogarias e materiais de construção.

2ª pesquisa – Perdas no Varejo SBVC

Em 2018 e pelo segundo ano consecutivo, a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) realizou estudo sobre as perdas do varejo brasileiro com apoio e colaboração do Portal Prevenir Perdas.

A pesquisa teve como objetivo conhecer o comportamento das perdas de estoque em toda a cadeia de valor do varejo (lojas e centros de distribuição) durante o ano de 2016 em diferentes setores além de outros indicadores estratégicos como ruptura e acurácia de estoque e contou com a participação de 64 empresas varejistas com 12000 pontos de venda distribuídos em 12 estados brasileiros.

Em 2016, a perda média dos supermercados foi de 2,26%. Já em 2017, houve um recuo e registrou 1,97%.

O motivo para a diminuição das perdas está relacionado, principalmente, ao investimento em gestão de perdas, por meio de novas tecnologias, funcionários, comunicação interna e programas de incentivo.

Um dos principais motivos para controlar as perdas em Supermercados é o treinamento de equipes. A primeira medida é alertar os futuros colaboradores sobre os métodos e normas da empresa em relação às consequências para atos ilícitos na loja. A prevenção de perdas requer engajamentos dos colaboradores da empresa, e a conscientização de que todos fazem parte de uma cultura de eficiência na loja.

Essa questão está diretamente ligada a rotatividade e retenção dos colaboradores no setor. 

A rotatividade, também conhecida como turnover, é um indicador de Recursos Humanos que mensura o número de colaboradores que são admitidos e desligados da empresa durante um determinado período. O setor do varejo possui um índice médio de 38,5%, de acordo com pesquisa divulgada pela NOVAREJO em 2016.

A rotatividade de colaboradores é inevitável, mas é preciso manter o controle para que ela não se torne um problema constante. Para problemas como este, a solução está em processos mais eficientes, capazes de atrair talentos e gerar contratações mais duradouras. Com tecnologia e processos eficientes, é possível diminuir esses índices.

Machine Learning e Inteligência Artificial (IA)

Uma das aplicações práticas mais úteis tem sido a de utilização de Machine Learning e Inteligência Artificial (IA) para evidenciar os custos escondidos com operações. É custo implícito, por exemplo, o do turnover, ou rotatividade de funcionários, que é alto em diversos segmentos, mas registra os maiores índices sobretudo em setores como varejo, alimentação, serviços terceirizados e saúde.

Por meio de algoritmos, como os da LEVEE, é possível detectar os candidatos mais qualificados em escala ainda na fase pré-admissional, e selecionar aqueles com maior potencial de produtividade, reduzindo custos e o período de tempo despendido com contratação e ações relacionadas. Tais tecnologias de Machine Learning e Inteligência Artificial permitem que as empresas processem grandes volumes de informações para tomar decisões mais rápidas e mais assertivas.

Em todos as empresas na qual a solução da LEVEE foi implementada, a redução em média foi 32% no turnover de 90 dias.

A inteligência trazida pelas soluções da LEVEE ajuda as empresas a melhorarem sua produtividade em média em 25%, considerando especialmente métricas de performance dos funcionários selecionados por Machine Learning. Isso significa melhor retorno sobre o investimento em capital humano, já que os algoritmos e sistemas de ML pré-selecionam os perfis com maior potencial produtivo para atingir os resultados desejados.

Saiba mais como podemos ajudar sua empresa na transformação digital Clicando AQUI.

Leave a Reply