Recursos Humanos no Brasil exportando inovação no processo de recrutamento operacional

Home Video Recursos Humanos no Brasil exportando inovação no processo de recrutamento operacional

G4S reduz custos relacionados a contratação em £300,000 e ganha prêmio regional LATAM de inovação ao adotar solução da LEVEE de recrutamento e retenção

Com 610 mil funcionários em mais de 100 países, a G4S é a maior empresa de segurança e serviços gerais do mundo, com ações nas Bolsas de Valores de Londres e de Copenhague. Há oito anos no Brasil, a empresa vem utilizando, desde 2017, a plataforma baseada em machine learning da LEVEE para realizar processos de recrutamento e seleção de mão de obra operacional.

Nestes dois anos a G4S contratou cerca de mil pessoas por meio da plataforma LEVEE e obteve uma redução de custos de R$ 1,5 milhão.

O sistema da LEVEE permite que as empresas encontrem candidatos que moram mais próximo ao serviço, o que reduz custos com vale transporte e diminui prejuízos com faltas e absenteísmos. Além do mais, a complexidade das análises feitas pelo sistema garantem contratar pessoas com um perfil muito mais assertivo para cada vaga, o que aumenta também a produtividade e reduz o turnover.

Soemi Pinheiro, diretora de RH da G4S Brasil, explica que, antes de contar com o sistema da LEVEE , havia a necessidade de manter equipes de seleção espalhadas por diversas regiões da capital paulista.

“Como a triagem era feita manualmente e, o recrutamento, por telefone, havia um volume muito grande de papel e de dados desatualizados. Era comum recebermos candidatos que já haviam se mudado do endereço que tínhamos nos arquivos de currículos cadastrados”.

Depois da LEVEE, os papéis viraram dados no sistema.

“Utilizar esta ferramenta para contratar mão-de-obra operacional faz toda a diferença no fim do mês, trazendo candidatos no perfil mais adequado para cada vaga. Além do mais, ela se encaixa no modelo de custo, e de precificação da empresa e, consequentemente, no modelo de negócios de uma forma ampla. Na comparação com os anos anteriores, os contratados destes últimos dois anos têm o perfil mais aderente, um custo muito menor para empresa, além de ficarem mais tempo conosco. Gastamos menos com vale-transporte e a taxa de turnover foi de fato reduzida”, diz Soemi.”

Soemi acredita que soluções de tecnologia que usam machine learning, ajudam os gestores a tomar melhores decisões e serem mais produtivos.

“A mensagem que eu deixo, em forma de reflexão, é que a equipe de Recursos Humanos precisa, cada vez mais, estar próxima do negócio, efetivamente do core da empresa, da entrega, sair do bastidor, e criar produtos que auxiliem nestes processos, de maneira prática e incisiva”, finaliza.

O próximo passo da parceria, que está em processo avançado de planejamento, é a integração das ferramentas de vendas e de prospecção de colaboradores para os lugares onde a G4S ainda não atua.

Transcrição do vídeo:

Inovar para a G4S é significa entregar um serviço cada vez melhor, de forma mais inteligente, deixando as pessoas mais felizes.

A G4S é uma empresa secular, tem 600 mil funcionários no mundo, é a terceira maior empregadora do mundo.

No Brasil, está aqui há oito anos, temos hoje 20 mil funcionários em quatro negócios diferenças.

Quando começamos a parceria, tínhamos equipes espalhadas em São Paulo, muito papel, porque a triagem era feita por papel, recrutamento por telefone, e as pessoas vinham para cá morando em endereços distantes do posto de trabalho porque aquele currículo não estava mais com o endereço atualizado, por exemplo, então foi neste cenário que a parceria começou.

Completamos agora mil pessoas que foram contratadas através desta solução.

E a gente já consegue comparar que as pessoas que vieram através desta solução têm um custo menor para a empresa.

Porque o turnover é menor e a gente gasta menos com vale-transporte por causa da questão da geolocalização.

E fora nosso banco de currículos, que era em papel e esses papéis viraram dados. É uma ferramenta que realmente funciona para mão de obra intensiva, que encaixa no modelo de custo, e de precificação da empresa, no modelo de negócios, portanto, e que realmente traz um perfil melhor para a empresa.

A gente tem um resultado operacional com isso, as pessoas vêm mais trabalhar, ficam mais tempo na empresa, custam menos.

Hoje nós chegamos a um nível de sofisticação que nós já estamos conversando de integrar nossas ferramentas de vendas ou de prospecção para os lugares onde nós não estamos e que estamos em momento de negociação mais efetivo da LEVEE começar a prospectar pessoas nestes lugares já.

A gente está bem neste momento da mudança no trabalho. Do que as pessoas querem para satisfação, do que as empresas já entenderam que precisam entregar.

Que inovação para uma recepcionista, pode ser um novo jeito de sorrir. Um novo jeito de dar bom dia.

Que para um vigilante pode ser ele ter um olhar ou uma visão de algo que não está bem, de forma preventiva, então, ferramentas como esta nos ajudam a tomar melhores decisões, para nós, e para essas famílias que estão vindo trabalhar com a gente.

A mensagem que eu deixo, em forma de reflexão, é como é que a equipe de Recursos Humanos pode, cada vez mais, estar próxima do negócio, efetivamente do negócio, da entrega, sair do bastidor, e criar produtos que ajudem o negócio.